Use este identificador para citar ou criar um link para este item: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/1293
Título: A relação teoria e prática à luz da Psicologia histórico-cultural: um estudo no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
Autores: Rocha, Josiane Regina Monteiro da
Zibetti, Marli Lúcia Tonatto
Palavras-chave: Psicologia histórico-cultural
Formação em Pedagogia
Teoria e prática
Data de publicação: 2013
Citação: ROCHA, Josiane Regina Monteiro da. A relação teoria e prática à luz da Psicologia histórico-cultural: um estudo no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2013. 197 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Fundação Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho, 2013.
Resumo: Este trabalho se inscreve no âmbito das pesquisas sobre psicologia escolar e processos educativos, consistindo numa investigação teórica, documental e empírica que objetivou, de modo geral, analisar a relação teoria e prática no contexto do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), em andamento junto a um dos cursos de pedagogia da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Seu marco teórico é a psicologia histórico-cultural, fundada por L. S. Vigotsky, a qual concebe o processo educacional formal como espaço privilegiado para a formação do pensamento conceitual, o qual supera dialeticamente o pensamento espontâneo, promovendo, assim, o desenvolvimento das funções psicológicas superiores. Especificamente se buscou: a) explorar algumas formulações desta psicologia contributivas para o entendimento da relação teoria e prática; b) identificar concepções acerca desta relação subjacentes aos documentos oficiais que delineiam o PIBID bem como nos relatos dos envolvidos; e c) apontar alguns limites e possibilidades oferecidos pela compreensão crítica das relações entre teoria e prática para a formação inicial no âmbito do PIBID-Pedagogia investigado. Os dados foram produzidos a partir da análise de documentos que configuram o PIBID em nível de política pública e em nível local, e de relatos de um grupo de dezessete colaboradoras envolvidas no programa, obtidos por meio de entrevistas semiestruturadas. Dentre os resultados obtidos destaca-se que: a) em vista de se articular entre as orientações dialéticas do Projeto Político Pedagógico do curso de pedagogia ao qual se vincula e as determinações pautadas pela epistemologia da prática que modelam o programa oficial, o PIBID local se constitui num campo de tensionamentos; b) embora questões ligadas à relação entre teoria e prática perpassem o documento local do PIBIB, nele não aparece uma explicitação de como é concebida esta relação; c) os relatos mostram que, embora prevaleça uma concepção dicotômica, na qual a teoria assume um papel prescritivo, as envolvidas apresentam diferentes níveis de apropriação da temática referente à relação teoria e prática; d) este PIBID alinha-se às diretrizes oficiais quanto à concepção de que a IES é a detentora do saber teórico e a escola básica do saber prático, tomando uma suposta integração entre ambas as instâncias como fator para a articulação entre teoria e prática; e) a integração entre IES e escola básica prevista no PIBID oficial se limita, no contexto local, à integração do grupo de bolsistas, alcançando minimamente outros atores dessas duas instâncias educativas; f) o PIBID local se organiza em torno de uma dinâmica que envolve estudo, planejamento, discussão, aplicação e socialização, a qual se mostrou fecunda, dentro dos condicionamentos existentes, para a articulação entre teoria e prática. De modo geral, se pode apreender que o PIBID, enquanto política pública orientada pela epistemologia da prática, se configura numa proposta limitadora para o desenvolvimento do pensamento conceitual, na medida em que move o pêndulo para o polo da prática escolar empírica e marginaliza os conhecimentos clássicos reveladores das múltiplas determinações da realidade social e educacional, acirrando a dicotomia entre teoria e prática. Aponta-se, todavia, que mesmo em tal contexto a defesa da formação como espaço de apropriação da cultura, no qual os conhecimentos elaborados ao longo do processo sócio histórico sejam tomados como mediadores, se faz necessária e pode criar possibilidades, como se pode constatar no campo empírico estudado.
Descrição: Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação: Mestrado Acadêmico em Psicologia - MAPSI, da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) como requisito final para a obtenção do título de Mestre em Psicologia. Orientadora: Profa. Dra. Marli Lúcia Tonatto Zibetti.
URI: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/1293
Aparece nas coleções:MAPSI/PVH - Mestrado em Psicologia (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Josiane R. M. Rocha_A relação teoria e prática à luz da psicologia histórico-cultural.pdf2,02 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.