Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.unir.br/jspui/handle/123456789/1846
Title: Desmatamento e unidade de conservação: Um estudo sobre a Zona de Amortecimento do Parque Estadual de Guajará-Mirim/RO
Authors: Oliveira, Liliana Borges de
Keywords: Desmatamento
Unidades de Conservação
Zona de Amortecimento.
Issue Date: 2017
Abstract: Este trabalho objetiva uma análise do desmatamento na Unidade de Conservação Parque Estadual de Guajará-Mirim, em Rondônia, mais especificamente na sua Zona de Amortecimento/ Z.A. Devido ao acelerado processo do desmatamento nas áreas protegidas em Rondônia, há uma preocupação quanto ao uso descontrolado da sociedade com os recursos naturais em território legalmente protegido. Uma das áreas considerada críticas em decorrência do desmatamento no Estado é a região de Nova Mamoré, onde está localizado a maior porção do Parque Estadual de Guajará-Mirim, que atualmente passa por um intenso avanço do desmatamento na Zona de Amortecimento e no interior do parque. Diante disso, o estudo buscou; quantificar e analisar o desmatamento atual na Zona de Amortecimento, nas Áreas de Preservação Permanente e delimitar áreas disponíveis para Reserva Legal por propriedade na Zona de Amortecimento da Unidade. A pesquisa foi sistematizada no método de Libault (1971), com a metodologia estruturada nos quatro níveis da pesquisa geográfica: Nível Compilatório – onde foram feitas a seleção dos dados bibliográficos, dos dados cartográficos e dos dados de sensoriamento remoto, compilando os dados primários. Nível Correlativo – correlacionou os dados através do geoprocessamento e os dados coletados em campo (entrevistas). Nível Semântico – Foram interpretados e reorganizados os dados da pesquisa, utilizando os dois momentos anteriores como os dados cartográficos da área, para elaboração de mapas de desmatamento e a tabulação dos dados coletados em campo. E por fim, o Nível Normativo – onde foram obtidos os resultados e análise final da pesquisa. Desse modo, constatou-se um crescente desmatamento na Zona de amortecimento do Parque, com uma área desmatada de aproximadamente 62% do total da Z.A. E esse desmatamento é causado principalmente pela pecuária e exploração ilegal de madeira, atingindo tanto as Áreas de Preservação Permanentes, como as Áreas de Reserva legal. No interior do Parque a situação é agravante por se tratar de uma Unidade de Proteção Integral, que por Lei não permite o uso direto de seus recursos naturais, ainda assim, foi constatada no interior do Parque uma área desmatada de aproximadamente 2,1% do Parque, causado principalmente por invasão para retirada de madeira ilegal. Conclui-se que embora as Unidades de conservação estejam protegidas por lei, a realidade na prática é bem diferente, em decorrência dos interesses econômicos e a falta de fiscalização adequada por parte do poder público, como também da sociedade.
Description: Dissertação de mestrado, apresentada como requisito para obtenção de título de Mestre junto ao Programa de Pós-Graduação Mestrado em Geografia da Universidade Federal de Rondônia.
URI: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/1846
Appears in Collections:PPGG/PVH - Mestrado em Geografia (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação_Liliana Borges.pdf5,54 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.