Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2017
Title: A agricultura familiar em projetos de assentamentos
Authors: Silva, Manoel Messias da
Costa, Josué da Silva
Keywords: Reforma Agrária
Agricultura familiar
Agroecologia
Desenvolvimento Sustentável
Issue Date: 2009
Abstract: Este trabalho aborda os temas reforma agrária, agricultura familiar e o desenvolvimento sustentável. Configurado na metodologia do estudo de caso, como proposta analítica que procura estudar uma determinada realidade exaustivamente a fim de se obter as informações. Trata-se de um estudo empírico que investiga um fenômeno, mediante a utilização de várias fontes de evidências tanto quantitativas como qualitativas. Com essa técnica procura-se vivenciar a realidade e emitir parecer conclusivo, quanto a origem das diferenças social e econômica entre os dois assentamentos Pedra Redonda e Cedro Jequitibá, localizados ambos no município de Machadinho D'Oeste em Rondônia. O enfoque da reforma agrária se caracteriza no vício do latifúndio, que tem açambarcado os pequenos agricultores; enquanto esses resistem ao longo do tempo e buscam se organizar para as conquistas de condições dignas no campo e em defesa do desenvolvimento rural sustentável. Na atualidade os movimentos sociais exigem terra para quem não tem e quer viver dela, mais crédito, assessoria técnica social, ambiental, infra-estrutura viária e apoio à agroindústria. Ou seja, querem produzir mais, com eficiência e assim encontrar o caminho do desenvolvimento sustentável. Esse trabalho explora uma situação vivida por dois assentamentos num mesmo município, próximos da cidade, que tiveram os mesmos benefícios das políticas públicas, e que se encontram em posições econômicas e sociais divergentes. Um caminhando com perspectiva de chegada ao porto seguro; enquanto o outro sem rumo, aguarda uma alternativa plausível do Estado, já que suas forças não são suficientes para encontrar o caminho desejável. O que se conclui com este estudo no meio rural, é da existência de políticas públicas com objetivo de proporcionar o desenvolvimento desse país; mas que, de posse de métodos inadequados, oriundos de sistemas centralizadores, não traduz os anseios desses agricultores(as) familiares. Decepcionados e desesperançados esperneiam contra o sistema injusto há anos, sistema que os deixa cada vez mais pobres e dependentes, quando não os deportam para as periferias das cidades. Por que ocorre tamanha diferença econômica e social entre as duas comunidades? Indiscutivelmente ocorre em decorrência da falta de sensibilidade política, para o entendimento de que não se pode tratar de forma igualitária situações diferentes. Como vem fazendo ao longo dos anos a revolução verde, com seus pacotes tecnológicos exógenos, tão arraigados no meio rural brasileiro não tem permitido, a entrada de uma nova matriz tecnológica, identificada com as características regionais, em respeito ao saber local.
Description: Dissertação apresentada ao Programa de PósGraduação Mestrado em Geografia da Fundação Rio Madeira, como requisito para obtenção do titulo de Mestre em Geografia.
URI: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2017
Appears in Collections:PPGG/PVH - Mestrado em Geografia (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
3375_manoel_messias_2008.pdf1,02 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.