Use este identificador para citar ou criar um link para este item: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2112
Título: A variação na concordância verbal: um estudo na escrita de acadêmicos de Letras
Autores: Castro, Maria Luiza de
Vercese, Rosa Maria Aparecida Nechi
Palavras-chave: Concordância verba
Variação Morfossintática
Sociolinguística
Data de publicação: 2016
Citação: CASTRO, Maria Luiza de. A variação na concordância verbal: um estudo na escrita de acadêmicos de Letras. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL), Fundação Universidade Federal de Rondonia-UNIR, 127 f. Porto Velho, 2016
Resumo: Na presente pesquisa, investigamos o fenômeno da variação na concordância verbal na terceira pessoa do plural. Para tanto, utilizamos como dados para análise redações elaboradas por acadêmicos de Letras, da Universidade Federal de Rondônia, campus de Vilhena, com a intenção de mostrarmos se a concordância verbal na terceira pessoa do plural corresponde a uma regra variável, regida por fatores de ordem linguística e social. Assim, temos como objetivo verificar se os fatores linguísticos promovem a presença ou ausência da marca flexional de número. A análise está apoiada nos princípios teóricos da Sociolinguística Variacionista, que considera a língua em seu contexto social. Consideramos em nosso estudo que a concordância verbal do português brasileiro apresenta variantes com marca ou sem marca de concordância, coexistindo em competição entre si. Dessa forma, procuramos analisar essas variantes, bem como identificar os fatores linguísticos que condicionam essa variação na escrita formal. Entre esses fatores destacamos os seguintes, os quais permitem comprovar um maior índice de ocorrência da marcação da concordância verbal da 3ª pessoa do plural: saliência fônica; sujeito em relação ao verbo; tipo de verbo; tipo de sujeito; e material interveniente. A análise quantitativa demonstrou que a marcação da concordância verbal, na 3.ª pessoa do plural, surge com maior frequência em construções linguísticas dentro dos padrões normativos quando a diferença entre o singular e o plural é mais perceptível. Comprova ainda que, na escala da saliência fônica, a oposição é acentuada; além de estruturas em que o sujeito está anteposto ao verbo na ordem direta S+V, sem interveniências. O nosso estudo revela que anos de escolarização contribuem para o processo de aquisição de um padrão linguístico propenso a apresentar progressivamente a marcação da concordância verbal. Revela ainda que o fenômeno da concordância verbal está sujeito a condicionamentos sociais e linguísticos que divergem dos padrões gramaticais.
Descrição: Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Letras da Fundação Universidade Federal de Rondônia, como requisito para a obtenção do título de Mestre em Letras da linha de pesquisa Estudos descritivos e aplicados de Línguas e Linguagens. Orientadora: Profª. Drª. Rosa Maria Aparecida Nechi Vercese
URI: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2112
Aparece nas coleções:PPGL/PVH - Mestrado em Letras (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO MARIA LUIZA.pdf1,95 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.