Use este identificador para citar ou criar um link para este item: http://hdl.handle.net/123456789/2227
Título: Avaliação das águas superficiais sob uso e ocupação na sub-bacia do Rio Candeias/RO-Amazônia Ocidental
Autores: Martins, Alessandra da Silva
Bernardi, José Vicente E.
Palavras-chave: Qualidade da Água
Parâmetros Físico-Químicos
Fósforo Total
Ortofosfato
Amônia
Rios da Amazônia
Uso e Ocupação
PCA
Data de publicação: 2009
Citação: MARTINS, Alessandra da Silva. Avaliação das águas superficiais sob uso e ocupação na sub-bacia do Rio Candeias/RO-Amazônia Ocidental. 2009. 123 f. : il. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional em Meio Ambiente, Fundação Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho, 2009.
Resumo: O presente trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade das águas superficiais na sub-bacia do rio Candeias sob influência antrópica, tais como mineração, pecuária e influência urbana e industrial. A sub-bacia ocupa uma superfície de aproximadamente 13.200Km2 , distribuída pelos municípios de Porto Velho, Candeias do Jamari, Ariquemes, Alto Paraíso, Itapuã d’ Oeste, Buritis, Monte Negro e Campo Novo de Rondônia. As amostras de água foram coletadas no período de seca em 34 localidades, abrangendo os rios Candeias, Santa Cruz, Preto, Ambição e Barra do Garça. Foram determinados os parâmetros físico-químicos (turbidez, condutividade elétrica, pH e oxigênio dissolvido) in loco, DQO por titulometria, nutrientes (fósforo total, ortofosfato e amônia) através do método colorimétrico e coliformes fecais por membrana filtrante. O maior valor de turbidez foi registrado no rio Ambição e afluente Santa Cruz, sob influência de mineração (garimpo de Bom Futuro). A condutividade apresentou destaque no rio Ambição e em alguns locais (CD9, CD10, ACD1, ACD3, SC1 e SC3) sob influência de pecuária e de mineração. As maiores concentrações de oxigênio dissolvido foram encontradas no rio Candeias. Com relação aos valores de oxigênio, o rio Candeias apresentou as maiores concentrações, mostrando que mesmo sob influência urbana e industrial há um processo de autodepuração. As águas da sub-bacia se mostraram levemente ácidas, como são encontradas na região Amazônica. Os coliformes fecais enquadraram-se na categoria de satisfatória a imprópria no sistema aquático para balneabilidade conforme a resolução CONAMA 274/2000 e imprópria para ingestão, de acordo com o MS (2004) que estabelece que deve haver ausência destes microrganismos. Em geral, as variáveis físico-químicas e nutrientes mostraramse abaixo dos padrões estabelecidos pela resolução CONAMA 357/2005. Os dados foram submetidos à duas análises de componentes principais: a primeira somente com os parâmetros físico-químicos, separou os tipos de águas em claras e pretas e a segunda, com todos os parâmetros, mostrou os grupos sob os tipos de uso e ocupação e influência de cada variável na mesma. Pode-se dizer que a sub-bacia do rio Candeias, mesmo com baixos valores para as variáveis, está sendo submetida à pressão antrópica.
Descrição: Dissertação de Mestrado apresentada junto ao Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, Área de Concentração em Monitoramento Ambiental, para obtenção do Título de Mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente. Orientador: Prof. Dr. José Vicente E. Bernardi
URI: http://hdl.handle.net/123456789/2227
Aparece nas coleções:PGDRA/PVH - Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO ALESSANDRA MARTINS.pdf4,5 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.