Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2480
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorRibeiro, Thamyres Mesquita-
dc.date.accessioned2019-04-01T16:13:51Z-
dc.date.available2019-04-01T16:13:51Z-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.citationRIBEIRO, Thamyres Mesquita. Marcadores vivos do povo cinta larga, terra indígena Roosevelt. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós- Graduação em Geografia da Universidade Federal de Rondônia, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2480-
dc.descriptionDissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Geografia da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Orientador: Prof. Dr. Adnilson de Almeida Silva.pt_BR
dc.description.abstractO presente trabalho traz uma análise dos marcadores vivos do povo Cinta Larga. Os marcadores vivos são uma das diferentes classes de marcadores territoriais, uma estrutura hierárquica criada por Henriques (2003), cuja conceituação foi realizada por Almeida Silva (2010). Esse conceito foi criado para identificar as marcas culturais de um grupo. Essas marcas são aquelas dotadas de significado e que ajudam na formação da identidade. O povo Cinta Larga, desde o contato, enfrenta conflitos diversos e nessas entrelinhas acontece um dos mais significativos prejuízos: o cultural. Em meio aos problemas enfrentados, o repasse das histórias, mitos e ritos para os mais jovens não vem acontecendo como era costume. Contudo, apesar de estarem supostamente enfraquecidos, no íntimo desses indígenas as simbologias e o misticismo ainda existem. Os estudos da Geografia cultural esclarecem que para manter viva a memória de um grupo étnico, o apego ao território vem como uma medida natural para manter a identidade. Os marcadores territoriais aparecem como um símbolo que marca de alguma forma o povo em questão. Com a necessidade de fortalecer a cultura, essa pesquisa vem com o objetivo de identificar e analisar a relação dos Cinta Larga com a natureza, quais são os marcadores vivos e como se dá esta representação no cotidiano deste povo. A coleta dos dados se deu com levantamento bibliográfico e midiático, observações in loco e entrevistas no formato de diálogos abertos. Para as análises, utilizamos como método a fenomenologia na perspectiva do espaço-ação, a qual analisa o conteúdo de dados considerando a carga sentimental e histórica que há no lugar. Como principal resultado dessa pesquisa, pudemos identificar vários marcadores vivos, como variadas aves, espécies vegetais, o porco-do-mato, a pedra sagrada e até mesmo um ser espiritual que tem capacidade de transmutação, Pawo, o dono do mato. Todos esses e outros marcadores têm um significado e uma forma de se representar no mundo cosmogônico dos Cinta Larga. Apesar de termos conseguido identificar e analisar vários marcadores, foi percebido que há muito a se descobrir naquela cultura. O trabalho com cultura indígena requer tempo, vivência e sensibilidade. E existem vários caminhos para a pesquisa no que tange à temática dos marcadores territoriais.pt_BR
dc.language.isootherpt_BR
dc.subjectCinta Largapt_BR
dc.subjectCulturapt_BR
dc.subjectIdentidadept_BR
dc.subjectMarcadores Territoriaispt_BR
dc.subjectMarcadores vivospt_BR
dc.titleMarcadores vivos do povo cinta larga, terra indígena Rooseveltpt_BR
dc.typeOtherpt_BR
Appears in Collections:PPGG/PVH - Mestrado em Geografia (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
THAMYRES_DISSERTAÇÃO FINAL - corrigida e revisada.pdf4,56 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.