Use este identificador para citar ou criar um link para este item: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2637
Título: Avaliação da aprendizagem segundo professoras e alunos de um curso técnico de agente comunitário de saúde do sul da amazônia
Autores: Tolfo, Adriana Carvalho Coutinho
Palavras-chave: Avaliação da aprendizagem
Instrumentos avaliativos
Formação do agente comunitário de saúde
Data de publicação: 2018
Citação: TOLFO, A. C. C. Avaliação da aprendizagem segundo professoras e alunos de um curso técnico de agente comunitário de saúde do sul da amazônia, 77f. Dissertação de Mestrado (Mestre em Ensino em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho, 2018.
Resumo: A presente pesquisa aborda o processo de avaliação da aprendizagem no contexto da saúde, em específico, na formação do agente comunitário de saúde realizada na I etapa formativa do Curso Técnico em Agente Comunitário de Saúde (ACS), ofertado pela sala descentralizada do Centro Educacional Técnico Profissional na Área de Saúde (CETAS) no maior município do Sul de Rondônia, Vilhena. O caminhar da pesquisa ansiava por encontrar respostas às questões, como: quais os procedimentos adotados no processo de avaliação da aprendizagem que poderiam contribuir com o aprendizado e desenvolvimento do perfil de competência desejável ao agente comunitário de saúde? Para a presente investigação, de abordagem qualitativa, se aplicou como instrumental metodológico um questionário socioprofissional e a entrevista semiestruturada. Os resultados revelaram que as professoras aplicam no mínimo três formas de avaliação com uso diversificado dos instrumentais de coleta de dados: a autoavaliação, o desenho da microárea do território adscrito, questionários, atividades de dispersão e outros. As professoras reconhecem que a avaliação da aprendizagem cumpre seu papel de trazer elementos que identifiquem se o aprendizado ocorreu ou não, permitindo o redirecionamento do percurso de forma construtiva, formativa. Os alunos na sua maioria expressam que a avaliação contribuiu com a aprendizagem e justificam que estimula o comprometimento, interesse, concentração e que reforça o conhecimento, motivando a busca por uma nota melhor. Destacamos desafios a serem superados em vários aspectos, como: as professoras, não possuem especialização na área de atenção básica à saúde e nem formação pedagógica, o que pode dificultar o desenvolvimento do trabalho em sala de aula e deixar lacunas no conhecimento e atuação profissional dos ACS. Nos alunos, identificamos desconhecimento parcial do que seja o perfil profissional do ACS e suas competências. No processo avaliativo identificamos por parte das professoras que há carência de registros desse processo, tornando a avaliação informal, em boa medida e não é comunicado a nota aos alunos. Assim, concluímos que o processo avaliativo do Curso TACS contribui parcialmente para aprendizagem dos alunos e que pode melhorar a qualidade com as sugestões: contratação de professores especializados na área de atenção básica e com formação pedagógica; com a oferta de educação permanente com ênfase nos processos avaliativos; com o acompanhamento, apoio e monitoramento da equipe pedagógica no processo de avaliação e na elaboração dos instrumentos de coleta de dados; e elaboração de um manual instrutivo para avaliação da aprendizagem
Descrição: Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Ensino em Ciências da Saúde (MPECS) do Departamento de Medicina da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) como requisito final para a obtenção do título de Mestre em Ensino em Ciências da Saúde. Orientador: : Prof.ª Dr.ª Ana Maria de Lima Souza.
URI: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2637
Aparece nas coleções:PPGECS/PVH - Mestrado Profissional em Ensino em Ciências da Saúde (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Versão Final pós defesa 29 05 PDF (4).pdf1,03 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.