Use este identificador para citar ou criar um link para este item: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2705
Título: Extração e caracterização de pectina da farinha do mesocarpo de Babaçu
Autores: OLIVEIRA, Jaine
Palavras-chave: Esterificação
Celulase
Rendimento.
Data de publicação: 2019
Citação: OLIVEIRA, Jaine. Extração e caracterização de pectina da farinha do mesocarpo de Babaçu. 2019, 46 f. Monografia (Bacharelado em Engenharia de Alimentos) - Fundação Universidade Federal de Rondônia, Ariquemes, 2019.
Resumo: Dentre as frutíferas nativas da região amazônica, o Babaçu (Attalea speciosa Mart.) é uma das mais conhecidas. Entende-se que estudos sobre a composição química dos carboidratos da farinha em especial as substancias pécticas pode levar a utilizações alternativas desta matéria-prima. Desta forma, o objetivo geral deste trabalho foi a extração e caracterização físico-química da pectina da farinha do mesocarpo de babaçu. Para determinar as melhores condições de extração da pectina realizou-se um planejamento experimental. Foram empregadas duas variáveis independentes: tempo de extração (30 min, 60 min e 90 min) e concentração de ácido cítrico (3 %, 4,5 % e 6 %) sob uma temperatura constante de (90 °C). Sendo avaliado o rendimento das pectinas extraídas e seu grau de esterificação. Por meio dos resultados, pode-se perceber que a concentração de ácido foi determinante para se obter o maior rendimento de extração (40,45 %) nas condições de (90 min e concentração de ácido de 6 %). A partir do resultado positivo, sob estas condições de processo, realizou-se o procedimento de extração de pectina aplicando enzimas pectinolíticas fazendo uso de duas enzimas: celulase e pectinase e a pela combinação de ambas. Após a aplicação das enzimas, pode-se verificar que a ação de hidrólise da enzima celulase foi maior sendo obtido um rendimento de 50,64 %, sob as mesmas condições experimentas (90 min e concentração de ácido de 6 %). Ao caracterizar as pectinas provenientes da extração sem e com aplicação de enzima (celulase), observou-se que ambas podem ser caracterizadas como pectinas de alto teor de metoxilação, apresentando grau de esterificação de 55,70 % e 66,67 %, respectivamente. Com base nestes resultados a farinha de mesocarpo de babaçu, demonstrou ser uma excelente fonte alternativa para extração de pectina de alto teor de metoxilação.
Descrição: Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Departamento de Engenharia de Alimentos da Fundação Universidade Federal de Rondônia, campus de Ariquemes, para obtenção do título de Bacharel em Engenharia de Alimentos. Orientador: Prof.ª Dra. Gabrieli Oliveira Folador.
URI: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2705
Aparece nas coleções:DENGEA/ARQ. Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
OLIVEIRA, Jaine.pdfTrabalho de Conclusão de Curso1,02 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.