Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2823
Title: Um, dois, três, quatro... já pode pular!!!... brincadeiras na rua, etnomatemática e crianças: uma pesquisa experiência
Authors: Santos, Gabriel Tenório dos
Keywords: Rua
Infância
Etnomatemática
Issue Date: 2017
Citation: SANTOS, G. T. Um, dois, três, quatro... já pode pular!!!... brincadeiras na rua, etnomatemática e crianças: uma pesquisa experiência. Monografia apresentada à Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Campus de Rolim de Moura, como exigência final para obtenção do título de Licenciatura em Pedagogia, sob a orientação da Profa. Dra. Bianca Santos Chisté
Abstract: Esta monografia objetiva criar afetos, provocações, devires de uma pesquisa com crianças que acontece a partir do referencial teórico sobre etnomatemática, infância e brincadeiras. A pesquisa “... UM, DOIS, TRÊS, QUATRO... JÁ PODE PULAR!!!... Brincadeiras na rua, etnomatemática e crianças: uma pesquisa experiência” sugere uma escolha metodológica em Leite (2011), o qual propõe um modo de pesquisar com crianças, indicando instrumentos de coleta (filmadoras, câmeras fotográficas, caderno de registro) para que, na produção imagética e audiovisual das crianças, garanta-se uma visibilidade da infância em uma pesquisa como experiência. Igualmente, para uma possível análise (ou talvez ensaio) e discussão (quem sabe conversações), buscou-se selecionar teóricos que abordam estudos sobre o brincar, cinema, infância e experiência, sobretudo, a relação com o Programa Etnomatemática criado por D’Ambrósio, revelando uma ponte entre essas temáticas e os processos de escolarização. Em vista disso, a investigação foi tecida com as contribuições de Meirelles (2012), Kohan (2007), Deleuze (2012), Agamben (2005), entre outros. A pesquisa, então, indica que a rua se constitui como elemento cultural das crianças. A relação matemática nesse espaço está intrínseca ao ato de brincar, evidentemente, este potencializa os processos mentais nos quais tange o raciocínio lógico-matemático. No entanto, nas brincadeiras, esse raciocínio não se constitui como uma escolha previsível, mas, como o próprio conceito de infância, é um acontecimento sem precedentes e acompanha os diálogos, as regras e decisões das crianças. No que se refere a etnomatemática, sua presença é identificada na própria manipulação dos saberes formais escolares durante as brincadeiras, profanando-os para múltiplas possibilidades de sua utilização.
Description: Monografia apresentada à Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Campus de Rolim de Moura, como exigência final para obtenção do título de Licenciatura em Pedagogia, sob a orientação da Profa. Dra. Bianca Santos Chisté
URI: http://ri.unir.br/jspui/handle/123456789/2823
Appears in Collections:DACEP/RM. Trabalhos de Conclusão de Curso



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.