Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.unir.br/jspui/handle/123456789/285
Title: Estudo da variação ontogenética do veneno de Bothrops atrox por análise proteômica e peptidômica: Identificação de peptídeos potencializadores de bradicinina
Authors: Coutinho Neto, Antonio
Keywords: Bothrops atrox
Variação ontogenética
Eletroforese bidimensional
Cromatografia
Venômica
Peptídeo potencializador de bradicinina
Issue Date: 2013
Abstract: Os acidentes com serpentes na Amazônia são causados na sua maioria, cerca de 90%, por Bothrops atrox, com rápida evolução hemorrágica e morte tecidual. A caracterização ontogenética dos espécimes estudados mostram a relevância do acidente ofídico negligenciado, que produz indivíduos com sequelas ou danos físicos irreparáveis pela ineficácias das terapias utilizadas atualmente. Deste modo, a compreensão das diferenças moleculares entre os venenos de serpentes de uma determinada região geográfica, no caso Porto Velho-RO, são de extrema importância na prepação de bioativos antiofídicos para diminuir os danos e sintomas fisiológicos que a peçonha de serpente causa. Por outro lado, as diferenças protéicas podem contribuir para a descoberta de protótipos de interesse biológico e/ou da medicina. Neste trabalho investigamos a possível variação ontogenética dos venenos de Bothrops atrox (adultas, jovens e de filhotes na localidade de Porto Velho-RO) por cromatografia de fase reversa em coluna C-18, cromatografia de exclusão molecular, eletroforese mono e bidimensional, espectrometria de massa (MALDI) e atividades biológicas: miotóxica, hemolítica, hemorrágica, pró-coagulante e coagulante; evidenciando-se a variação ontogenética dos espécimes desta região da Amazônia brasileira. Os venenos de jovens e filhotes analisados apresentaram maior atividade fosfolipásica (hemolítica), hemorrágica, miotóxica, coagulante e atividade pró-coagulante sobre substrato cromogênico, em relação aos indivíduos adultos. As proteínas do veneno desta espécie, apareceram em géis bidimensionais, em condições não redutoras, com bandas protéicas nas faixas moleculares de 92, 52, 37 e 21 kDa. Os perfis cromatográficos destes venenos, monstraram variações quanto aos tempos de retenção e proteínas expressas nas amostras, diferenciando-se dos demais perfis de Bothrops atrox já estudados, avalizando a variação geográfica e ontogenética que ocorre com o gênero Bothrops distribuído por toda Amazônia legal. Identificou-se por homologia quatro novos peptídeos potencializadores de bradicinina (BPPs), nos venenos de B. atrox Adulta e Jovem, os quais apresentaram massas de 691,21; 1074,99; 1116,54; 1146,55 e 1384,7386 m/z, sendo o BPP de maior massa sequenciado por sequenciamento de novo, para o qual obteve-se os seguintes resíduos de aminoácidos: ZKWPRPGPEIPP, denominado de BAX12.
Description: Tese apresentada à Universidade Federal de Rondônia - UNIR, para a obtenção do título de Doutor em Biologia Experimental pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia Experimental.
URI: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/285
Appears in Collections:PGBIOEXP/PVH - Doutorado em Biologia Experimental (Teses)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese ACN Antonio Coutinho Neto 2013 final revisda(leo).pdf15,72 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.