Please use this identifier to cite or link to this item: https://ri.unir.br/jspui/handle/123456789/1450
Title: A Prova Brasil como instrumento de regulação do ensino fundamental no município de Porto Velho: avaliação ou manipulação de resultados?
Authors: Santos, Osiel Antonio dos
Keywords: Prova Brasil
Regulação
Escolas de Porto Velho
Issue Date: 2014
Citation: SANTOS, Osiel Antonio dos. A Prova Brasil como instrumento de regulação do ensino fundamental no município de Porto Velho: avaliação ou manipulação de resultados?. 2014. 106f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação Mestrado Acadêmico em Educação-PPGE, Universidade Federal de Rondônia - UNIR, Porto Velho, 2014.
Abstract: A presente dissertação aborda a Prova Brasil como instrumento de regulação e tem como eixo norteador o poder indutor do Estado para aumentar as notas do IDEB, que lançam políticas antipedagógicas não vinculadas com os interesses dos trabalhadores. Esta dissertação mostra quais são as principais propostas e programas educacionais “ofertados”, pelo governo federal. Na realidade esses programas estão desvinculados realidade em que se encontra a educação pública, pois buscam apenas a melhoria do IDEB, mesmo que de forma manipulada. Verificamos que os gestores e educadores possuem dúvidas sobre a elaboração e aplicação da avaliação, especialmente, quanto à utilização das informações por ela produzidas, que geralmente desconhecem como se chega àquela nota fornecida pelo INEP. Como consequência disso, percebemos que no interior da escola prevalece o controle das notas obtidas na Prova Brasil e das metas estabelecidas pelo Governo Federal, instigando a competitividade entre escolas e responsabilizando-as pelo baixo desempenho. A mensuração do rendimento disponibilizado pela mídia ou até mesmo por placas fixadas na parede de cada estabelecimento de ensino, pode gerar um desconforto para a comunidade escolar. É como se aquela nota fosse fruto da incompetência dos profissionais que fazem parte daquela escola, sendo assim, mais uma vez o Estado se isenta de ser responsabilizado pelo fracasso escolar. Ao se sentirem pressionadas, as equipes escolares tendem a padronizar o trabalho pedagógico, priorizando a preparação dos estudantes do ano em que acontece o teste, sempre com o objetivo de elevar a classificação da instituição. Esse tipo de estratégia evidencia o predomínio da regulação e o poder de controle do Estado sobre os rendimentos escolares. Essa pesquisa utilizou-se do banco de dados do INEP, referente aos resultados do IDEB de 2005 a 2011. Fazem parte ainda as entrevistas fornecidas pelos docentes acerca do tema, que foram utilizados para compreender como funciona a Prova Brasil nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Esses dados foram interpretados por meio do método materialismo histórico-dialético, que possibilitou interpretar os interesses subjacentes das estratégias adotadas pelos governos para promover o aumento do desempenho dos alunos nas escolas de Porto Velho.
Description: Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação: Mestrado Acadêmico em Educação - PPGE, da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) como requisito final para a obtenção do título de Mestre em Educação. Orientadora: Prof. Dra. Marilsa Miranda de Souza.
URI: http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/1450
Appears in Collections:PPGE/PVH - Mestrado Acadêmico em Educação (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Osiel A. dos Santos_ A Prova Brasil.pdf934,37 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.